Eleições 2010

3 outubro, 2010


Domingo de eleição, não da pra correr do colégio eleitoral, como eu decidi não transferir o meu voto, principalmente por não ter acompanhado a história política daqui e por ser contra o antigo hábito de encher a cara de manguaça nesse dia, como ja era de costume aqui na Bahia e agora foi oficialmente liberado, o me restou justificar.

Primeiro me deparo com uma ladeira enorme, com uns 30º de inclinação e meio km de subida, e ja nessa ladeira, vejo a descarada e velha boca de urna, nem em feira livre se é tão assediado para fazer algo, da ladeira até a porta do colégio é assim! Só faltou o carro de som, mas a quantidade de cabos entregando santinhos é maior que a de panfleteiros em dia de promoção conjunta de todos os supermercados da Bahia, e a PM? Tava la, como quem não via nada, não sabia de nada…

Dentro do colégio escuto (Duas mulheres conversando):
” -Venha cá coisinha, você voto ni quem pra deputado?
– Ói, eu nun gravei numero de ninguem não, sai chutando até aparecer algua coisa, nun lembro mar não.
– Oxi mulhé, e porque nun voto no Ilto 50?
– Quee nada, eu lá lembrava.
– E pra governadô?
– Ai foi Jaquisi Wagné (Escuta-se bem assim)”

Enquanto isso torço pra Sr.ª esposa do ex-dono de Brasília não ser eleita pela maioria cega.

Vamo nessa Brazíu (porque o Brasil ja se foi.)

Brasilia… ah Brasilia…

16 agosto, 2009


Brasilia estava linda, o mesmo céu mágico cor no final de tarde, a mesma lua gigante no céu estrelado, o cheiro de gasolina e diesel (que é? eu gosto uai), as arvores começando a secar, o frio intenso da madrugada, a arquitetura exuberante, o choop gelado, o lago amado, o congresso, os candangos (a escultura), o parque da cidade e seu ar quietante, a falta de educaç… Opa, a falta de educação eu não tava com saudades não!

É incrivel como quem mora em bsb acostuma com esse triste fato, ô povo mal educado!
Quando moramos lá, não percebemos, acostumamos de uma forma automática, mas quando se passa uma boa temporada fora de bsb e volta para visitar, é ai que vem o choque, é cobrador e motorista de onibus sacaneando tratando mal todo mundo, o cara da padaria, farmacia, mercado, todos! É horrivel essa triste realidade, dessa cultura fraca de protecionismo pessoal.

É por isso que vim para Salvador, povo calorento, aconchegante, hospitaleiro e mesmo largado pelo estado, com estudo fraco, sofrendo pela falta total de planejamento e desordem da cidade, ainda assim tem forças para sorrir, e sabe que a amizade é tudo na vida de qualquer pessoa.

Saudades bsb, saudades da cidade, não da falta de educação!